Quem Somos

O Jornal Impressões foi desenvolvido durante a pandemia e isolamento social do COVID-19, onde artistas, longe de seus trabalhos, sentiram a necessidade de contribuir com o cenário caótico, com informações sobre diversos temas.

Foram selecionados colaboradores, jornalistas ou não, que estivessem envolvidos com as áreas a que foram destinados .

Ao lado da pandemia em nosso país nunca se falou tanto em liberdade de expressão , fake-news e informações precisas, valorizando cada vez mais o jornalismo sério e responsável.

Tal qual o papel dos arautos e mensageiros da antiguidade, jornalistas também estão na linha de frente das pandemias, das epidemias, das guerras, das revoluções, precedem a história e se fazem presentes na direção da humanidade pelo caminho mais seguro .

Deixamos aqui a nossa contribuição:

As nossas IMPRESSÕES sobre o nosso novo mundo .

Sugestões de pauta : silviocomunica@gmail.com

2 comentários em “Quem Somos

  1. MEU REENCONTRO COM A MERENDA ESCOLAR
    Hoje voltei pra minha querida escola. Que saudade da dona Vânia, a merendeira, mesmo que de vez em quando ela espirre e tussa em cima do caldeirões. Revi meu amiguinhos de BULLYING (ele inventaram novos apelidos pra mim e debocharam da minha magreza), mas eu não dou atenção porque às vezes eles me dão o resto de seus lanches. Minha mãe agora pode trabalhar tranquila, pois ela sabe que aqui estarei em total segurança; nunca ninguém entrou com armas atirando. Meu pai está foragido da justiça (tentou burlar o auxílio emergencial) , e só eu sei onde ele está, pois meu vizinho vidente me avisa quando ele muda de local. Minha mãe pediu pra diretora me deixar no pátio de manhã, até a hora da minha entrada, mas ela ficou brava e disse que a escola dela não é creche ou depósito de crianças. Fiquei muito triste quando soube que o seu Manuel , caseiro da escola, morreu de Covid, a esposa teve também e perdeu o olfato e a audição. Seu Manuel era muito bacana e me deixava brincar na quadra nos finais de semana. Dona Vânia faz o que pode com os produtos da merenda ( o arroz parboilizado e as almôndegas são horríveis), mas ela consegue fazer tudo com muito amor. Às 19h10, minha mãe vem me buscar e não gosto de vê-la tão cansada e reclamando de um tal de assédio moral (vou perguntar pra professora o que é isso). O intervalo é às 15h30, e como minha sala fica no fundo do corredor , quando chego no pátio a fila da merenda já está quase chegando no portão de entrada (nunca consigo pegar uma comida quentinha). Minha professora quis saber quem conseguiu ter aula online para organizar a sala. Como não tenho computador nem celular, fui colocado na primeira carteira bem perto da janela, ouvindo meus amigos cochicharem: – Coitadinho, não tem computador nem celular e vai ter de ralar, deve estar mais burrinho do que a gente…Tenho 3 celulares um PC poderoso e poderia ter lhe emprestado algum, que pena! – Cale essa boca Roberto, Renato é muito inteligente e vai recuperar logo todo o tempo perdido. Hoje a merenda acabou logo, quando chegou a minha vez me deram bolacha, SEM RECHEIO. Dona Vânia agora vai ter de limpar tudo, a diretora exige que os caldeirões fiquem brilhando. Amanhã é DIA DO PROFESSOR e vou pedir a minha mãe um dos panos de prato que ela tenta vender numa calçada.
    armando diorio – 15/10/20 – 13h12

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *